terça-feira, 19 de novembro de 2013

O bom e ruim de Angra de Reis

No meu imaginário, Angra dos Reis era uma cidade bonita rodeada de belas ilhas, com casas lindas e um badalado centrinho, com bons restaurantes, lojas e bares. Nada disto. Esqueça este mundo glamoroso que sai nas revistas. Sim, realmente há barcos incríveis por todos os lados e as casas luxuosas ficam ou nas ilhas ou no continente, mas afastadas. Fora isto, a cidade é feia, rodeada de casinhas nos morros igualmente feias e muito pouco para fazer à noite, além de ir ao shopping Piratas, lugar que oferece alguns restaurantes OK, e perto do cais onde tem alguns bares.


Então, se você não tiver grana para bancar um passeio privativo de lancha ou barco (a escuna é uma furada), não perca seu tempo indo à Angra dos Reis. No Rio de Janeiro e bem perto dali, fica Paraty, que merece demais uma visita (leia post sobre quatro dias na cidade aqui).

Para entender como Angra funciona 
A cidade de Angra dos Reis fica no continente, mas tem à sua volta 365 ilhas, incluindo a famosa Ilha Grande (leia mais neste site). No centro histórico, que é bem sem graça, ficam o cais de Santa Luzia (ponto de saída das escunas, traslados e barcos privativos) e da Lapa (de onde parte a balsa pública que vai à Ilha Grande).

Já as praias (muito bonitas, vale ressaltar) estão localizadas em três pontos principais: Ponta Sul, Estrada do Contorno e Ponta Leste — este site aqui mostra uma lista delas, só não leve muito a sério a classificação de cheio e vazio. Para se chegar às praias do continente, as opções são barco ou carro — vi também ônibus circular na Estrada do Contorno. Óbvio que para aproveitar as praias nas ilhas é preciso se locomover de barco, lancha ou escuna.
Praia da Figueira, na Estrada do Contorno: águas cristalinas e até tartaruga! 
O que fazer
Se você estiver de carro, vale a pena dirigir até uma das praias, como a da Figueira (menor, com um visual lindo) e a praia grande (tem várias barras e é menos bonita), que ficam na Estrada do Contorno. Como eu fui num feriado, estava mais cheio que o normal.

Um passeio gostoso é percorrer a Estrada do Contorno dirigindo desde o Colégio Naval até a praia da Enseada — a rota é bastante tortuosa e requer atenção dos motoristas. No caminho, estão localizados os hotéis cinco estrelas Villa Galé e Pestana. Para ir às praias, basta estacionar o carro na estrada mesmo (!!!) e descer a trilha ou as escadarias, mas não é a todas as praias que se consegue chegar. Esta rota termina em um centrinho e dá acesso à rodovia BR 101. Daí é só pegar sentido Rio de Janeiro para voltar a Angra.
O outro lado da Praia da Figueira 
Na Ponta Sul, mais afastada do centro, ficam as praias do Frade, onde está o famoso e homônimo resort, de Guariba, de Mambucaba e a Brava. Também se pode ver as imponentes e controversas usinas nucleares Angra 1 e 2 — boa hora de se perguntar por que, em um País que conta com diversas fontes de energias, o governo militar achou que era uma boa ideia instalar uma usina nuclear.

As praias da Ponta Leste são mais chatinhas para chegar, porque falta sinalização na rodovia. Pela BR 101, há uma saída entre os quilômetros 474 e 472 (não sei dizer ao certo onde é, mas tem um trevo com indicação para a praia das Tartarugas) para o Corredor Turístico Ponta Leste — tem várias placas da Petrobrás perto. Esta estradinha vai contornando as praias e o turista pode escolher em qual ficar. São bem bonitas, com o mar verde e um recorte lindo. De novo: tudo é bastante cheio em feriados.
Praia do Basílio, na Ponta Leste: bem pequena e rodeada por pedras
Um dos passeios mais tradicionais é conhecer Ilha Grande, a maior das ilhas de Angra com 193 km² (leia na Wikipedia a história da ilha). As escunas que levam os turistas para lá zarpam da Estação Santa Luzia, no centro, e percorrem a baía de Angra. O passeio que eu fiz, pela Angra Way Turismo, teve quatro paradas: ilha de Cataguases e três praias na Ilha Grande — Lagoa Azul, Freguesia de Santana e Japariz. Fujam; é uma furada embarcar nestas escunas que levam cerca de 100 a 130 pessoas por embarcação (leia mais neste post sobre o passeio).

Ilha Grande 
Já para ir à Ilha Grande, existem opções além da excursão na escuna. A mais em conta é pegar a barca do governo (R$ 4,50 por pessoa) que faz a travessia Angra-Abraão (vila/centro da ilha) às 15:30 nos dias de semana e às 13:30 anos fins de semana e feriados. No entanto, a volta (Abraão-Angra) ocorre apenas às 10 horas, portanto, é necessário pernoitar lá. As barcas saem do cais da Lapa e a travessia leva cerca de uma hora e meia.
Um das escunas que fazem o passeio para Ilha Grande
Outra opção é pegar as embarcações privadas — lanchas, catamarãs ou barcos — que fazem o traslado cobrando, em média, R$ 50 ou R$ 60 ida e volta. Pelo que chequei no balcão de informações turísticas, o transporte privado tem saídas Angra-Abraão a cada meia hora durante a manhã.

Diversas agências de turismo operam a travessia, fazendo passeios de um dia na ilha. Normalmente, elas deixam os turistas na Vila do Abraão, após fazer um tour com guia para explicar a história da ilha que abriga um presídio.

Na Vila do Abraão, há barcos-táxis para transportar as pessoas até as diversas praias da ilha. Há também trilhas de dificuldade leve, moderada e difícil e topografia plana, íngreme e muito íngreme.     
Ilha dos Cataguases é a primeira parada da escuna 
Fotos: Thais Cerioni

Informações úteis — Hotel
Quando: Novembro 2013
Hotel: Golden Tulip Porto Bali — Estrada das Marinas, 111 | Praia do Jardim
Por onde reservei: direto no site, por meio de uma promoção de cartão de crédito
Impressões sobre o hotel: o quarto que reservei foi o pequeno—econômico e foi uma grata surpresa não encontrar um cômodo minúsculo. As diferenças dele para os demais são que não possui varanda, minicozinha e antessala. Já o hotel se diz um 4 estrelas, quando, na verdade, é um bom 3 estrelas. Entre os prós estão o gostoso café da manhã, a localização perto do shopping Piratas — se pode ir caminhando, demora nem dez minutos —, a piscina e a isca de peixe. Já nos contras entram o péssimo atendimento dos funcionários (ninguém sabe informar nada e parece que odeiam ajudar os hóspedes), é de frente para o mar, mas não tem praia, sendo que a água não é própria para banho e nem para esportes aquáticos e o principal: havia uma turma de cariocas fazendo a maior farofada de todos os tempos quando me hospedei. Para se ter uma ideia, eles levaram para a área da piscina três coolers com bebidas e chegaram a comer strogonoff ali mesmo.

                                                                          >>> Guia de hotéis e avaliação das hospedagens

17 comentários:

  1. Bastante preconceituoso. ..como se nenhuma cidade brasileira turística tivesse casas em morros.
    Aliás, desinformado, há no centro de Anfra um Musru de Arte Sacra, dois conventos, uma bela Igreja Matriz e 3 centros culturais, tudo gratuito e com exposições diversas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Primeiramente, quem se dispõe a passar alguns dias em um destino de praias muito provavelmente não está interessado nesses passeios culturais. No mais, conheço as atrações citadas e acho bem porcaria. Não vejo a menor graça na Igreja Matriz e muito menos nos conventos. Quanto ao Museu de Arte Sacra, não chega aos pés do de SP.

      Realmente em diversas cidades turísticas brasileiras há casas em morros. Mas como comparação, em Búzios, Arraial do Cabo e outras, há sempre o centrinho movimentado e as praias de fácil acesso, sem ênfase às partes ruins das cidades. Em Angra, quem não fica em resort, não tem casa em um belo condomínio ou não tem lancha, vai é ver a parte feia mesmo.

      Excluir
  2. Ainda não fui em Angra, mas já tenho passagens e hospedagens pagas pata ir no fim do ano.
    Quando faço uma viagem, seja nacional ou internacional, eu procuro pesquisar bastante na internet tudo que aquele lugar oferece de bom e ruim.
    Estou pesquisando ha 4 semanas e esse é o primeiro post que não leio palavras de apenas positivas.
    Gosto de opiniões como as suas e creio também que não se deve levar toda a aparência ou desorganização ao pé da letra.
    Infelizmente não só em Angra e outros destinos do Brasil são assim.
    Já passei por problemas fora do país e infelizmente é aceitar e levar na esportiva.
    Agradeço sua opinião.

    ResponderExcluir
  3. Muito bom, ajuda muito para quem vai primeira vez a Angra, pois evita de pensar que a cidade é glamorosa e lá constatar que a maravilha está nas prais e ilhas e não na cidade...Valeu.

    ResponderExcluir
  4. Legal. Opiniões negativas também são úteis.

    ResponderExcluir
  5. Só li verdades também. As praias são lindas, de fato. As pessoas e a cidade são péssimas.
    Se você vem de SP, sugiro parar em ilha bela que tem praias igualmente lindas, restaurantes melhores, e pessoal mais seleto.

    ResponderExcluir
  6. Realmente o centro de Angra é feio e tem pouquíssimas opções a noite, mas tem. Mas mesmo assim eu adoro Angra. As prais são lindas e a energia do lugar é muito boa. Na minha opinião é melhor do que Búzios, Cabo Frio ou Arraial, nesses lugares sim tem povão!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Arraial, cabo frio, buzios mil vezes mais estruturado, além de ficar un grudado no outro... e as praias são maravilhosas... tudo depende da época que se vai, povoado será em qualquer época de alta temporada. Mas é uma questao de gosto mesmo. Se tiver oportunidade visitem todas e concluam de acordo com seus gostos.

      Excluir
  7. Ja estive em Cabo Frio,Arraial do Cabo e b'uzios foram passeio inesqueciveis sempre quando posso vou, agora mes que vem quero dar um pulinho em Angra uns gostaram outros razoavelmente mas acredito vale a pena conferir sim ...

    ResponderExcluir
  8. Tenho viagem agendada para angra em 17/03...Depois que li este post estou pensando realmente se vale a pena eu vir de Búzios e parar em angra ou passar direto e ir para ilha bela que eu já conheço e sei que é bom!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, obrigada pelo comentário. Não gostaria de desincentivar nenhuma viagem, até porque nem sempre as impressões são as mesmas. Vai que você faz um passeio mais legal ;-) Mas, realmente, eu não achei Angra um lugar incrível. Gostei bem mais de Paraty, por exemplo.
      boa viagem!

      Excluir
  9. Também fui a Angra e é bem assim a cidade é horrivel,o unico bonito la são as casas dos ricos e artistas,os barcos um lixo ,claro que algumas prais são lindas mas não chegam aos pés de Buzios e outras cidades como porto seguro, porto de galinhas, trancoso, jericoacoara e a lista segue,uma das mais feias pode acreditar,eu ja fui a muitos lugares e foi o unico que não gostei.

    ResponderExcluir
  10. A "Angra dos Reis paradisíaca e famosa" é mais um mito criado pela dona Rede Globo e suas telenovelas de araque, pra promover o RJ em detrimento do resto do Brasil. Praias e natureza ainda vai, mas a cidade é uma verdadeira favela.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E mangaratiba que é do lado de Angra é fudido também.

      Excluir
    2. Será que mangaratiba é ruim também?

      Excluir
    3. Estou em Angra agora e com tempo ruim, estou no hotel sem ter o que fazer.Concordo com Post. Tudo vale a pena conhecer mas não venha com muita expectativa,um dia com passeio de barco é o suficiente para ter uma panorama e seguir rumo a outras descobertas.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...